RESISTÊNCIA

ALINE CORRÊA (Macaé-RJ)

Este solo questiona o corpo como objeto de resistência que teve de suportar as fases de aprendizagem e experiências que obteve durante sua trajetória na dança e na vida. O corpo se transforma em um lugar cheio de cicatrizes, onde o passado persiste em se manter presente, mas é preciso de manter firme e seguir, porque o presente é novo e surpreendente.
“O pulso ainda pulsa, o corpo ainda é pouco”(Titãs – O Pulso)

FICHA TÉCNICA:

Intérprete-criadora: Aline Corrêa
Produção: Jacqueline de Castro

duração: 20 min.

foto: divulgação